Polícia

Destino de Flordelis nas mãos da Câmara dos Deputados

O futuro da deputada federal Flordelis (PSD-RJ) está nas mãos da Câmara Federal. Isto porque, caso ela tenha seu mandato suspenso ou cassado, perderá imunidade parlamentar e deverá ser presa, já que se tornou ré no processo referente ao assassinato de seu esposo, o pastor Anderson do Carmo.

Na quarta-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), havia anunciado que reunirá a Mesa Diretora e líderes partidários, na próxima semana, para dar uma solução para o caso. A casa poderá até reativar o Conselho de Ética, suspenso por conta da pandemia do novo coronavírus, para avaliar a situação.

A Mesa Diretora da Câmara já recebeu ao menos um pedido de cassação do mandato de Flordelis. Ela foi eleita, pela primeira vez, nas eleições de 2018 e teve a 6ª votação mais expressiva do Rio de Janeiro, com quase 200 mil votos, sendo a maior de seu partido.

O Partido Social Democrático (PSD), legenda liderada pelo ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, já havia informado a suspensão da filiação de Flordelis. Foi aberto um procedimento interno que deve resultar na expulsão da parlamentar do partido.

A deputada foi indiciada pelo crime de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, falsidade ideológica, uso de documento falso e organização criminosa majorada. A Polícia Civil encaminhou à Câmara dos Deputados Federal cópia do inquérito com resultado da investigação para adoção de medidas administrativas cabíveis.

Cabe resaltar que Flordelis precisou entregar seus passaportes, inclusive o diplomático e está impedida de deixar o país. Ela pode se deslocar apenas entre sua casa, em Niterói, e Brasília, onde exerce seu mandato.

Fonte: O Fluminense