Cidades

Polícia continua na cola de foragidos por agiotagem

Aberta a temporada de “caça” a agiotas em Niterói, São Gonçalo e Região dos Lagos. Na noite de terça-feira (6), policiais civis prenderam mais um foragido da Operação Infestus, deflagrada em 2019 para coibir a prática. Desta vez, a ação aconteceu no bairro gonçalense de Raul Veiga.

Policiais civis da 76ª DP (Niterói) prenderam o acusado, de iniciais P. P. S. de M., de 54 anos, que tinha cinco mandados de prisão, preventivas e temporárias, pendentes. Ele responde pelos crimes de organização criminosa e extorsão.

Segundo a distrital, o homem estava foragido da justiça há 3 anos. Ele foi capturado no começo da noite dessa terça-feira no bairro Raul Veiga, em São Gonçalo, após os policiais receberem informações resultantes das atividades de inteligência da unidade, que indicavam a sua provável localização.

Este é o nono integrante da organização criminosa preso pelos agentes da 76ª DP, sendo o segundo em dois dias. Cabe ressaltar que, na segunda-feira (5), agentes da distrital ainda prenderam integrante de outra quadrilha, na cidade de Cabo Frio, Região dos Lagos.

Modus operandi

A investigação sobre a quadrilha, que resultou na Operação Infestus, foi conduzida pela 44ª DP (Inhaúma) e os mandados de prisão expedidos pelas 32ª e 33ª Varas Criminais da Capital. Segundo apuração da Polícia Civil, os criminosos atuavam de modo a aterrorizar clientes, cobrando até mesmo dívidas que não existiam.

“Além da prática da agiotagem clássica, com empréstimos a juros abusivos, a organização criminosa também fazia vítimas cobrando dívidas antigas, contraídas com agiotas, mas que já tinham sido quitadas, além de cobrarem dívidas fictícias de empréstimos que nunca existiram. Para aterrorizar as vítimas os criminosos se utilizavam de sites de consulta onde obtinham os dados pessoais das vítimas e de seus parentes e vizinhos. Em seguida telefonavam para os parentes e vizinhos e pediam para passar recados ameaçadores para os supostos devedores como forma de causar pavor”, explicou a investigação da 76ª DP.

Fonte: SÃO GONÇALO – A Tribuna RJ