Cidades

Polícia busca acusados de matar PM em São Gonçalo

Forças de segurança estão à procura de informações que possam ajudar a localizar e prender envolvidos na morte do cabo da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Marcos Antônio Chagas Capulot. O crime aconteceu, na tarde dessa quarta-feira (21), durante uma tentativa de assalto a uma loja de departamentos.

O Portal dos Procurados, do Disque Denúncia, divulgou cartaz oferecendo recompensa de R$ 5 mil por pistas que ajudem a capturar os assassinos. Lotado na Diretoria de Assistência Social (DAS) da Polícia Militar, ele foi morto, no fim da tarde, após ser baleado durante a tentativa de roubo, na loja localizada na Estrada Velha de Maricá, no bairro de Maria Paula, em São Gonçalo.

Segundo investigações iniciais, um homem armado invadiu o estabelecimento, altura enquanto um comparsa aguardava do lado de fora. Marcos Antônio, que estava de folga, teria tentado abordar os criminosos, e acabou sendo acabou sendo atingido na cabeça. Logo após o crime os criminosos fugiram em uma motocicleta. Ele chegou a ser socorrido por bombeiros para o Hospital Azevedo Lima, em Niterói, mas não resistiu ao ferimento.

Agentes da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG), estiveram no local, fizeram pericia, e buscam informações e analisam as câmeras de segurança, para identificar a autoria do crime. A especializada fez o registro da ocorrência e abriu inquérito para investigar o caso.

Mortes de agentes

Com a morte do cabo Capulot, chega a quarenta e três o número de agentes de segurança mortos em 2021. Sendo 31 da Polícia Militar, dois da Marinha do Brasil, dois do Exército Brasileiro, dois da Polícia Civil, um da Guarda Municipal, um do Degase, dois agentes penitenciários, um sargento da Reserva do EB e um policial militar do Estado de São Paulo, morto em abril, em Barra Mansa.

Como denunciar

O Disque Denúncia recebe informações sobre a localização envolvidos neste crime, nos seguintes canais de atendimento, por meio do WhatsApp do Portal dos Procurados, (21) 98849-6099; ou por meio dos telefones (21) 2253 1177 ou 0300-253-1177. Além disso, o serviço oferece aplicativo para smartphones e redes sociais (Twitter e Facebook), onde podem ser enviadas informações.

Fonte: SÃO GONÇALO – A Tribuna RJ