Cidades

Nome conhecido da política gonçalense, ex-deputada estadual Graça Matos anuncia retorno ao PDT

Ela foi eleita para a Alerj pela primeira vez, em 1990, pela legenda fundada por Leonel Brizola

Em cerimônia realizada na noite de terça-feira (20) na Associação Comercial de São Gonçalo, a ex-deputada estadual Graça Matos anunciou sua filiação ao Partido Democrático Trabalhista. O evento contou com a participação do ex-prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, e do atual, Axel Grael. Também estiveram presentes outras lideranças políticas da legenda, como Chico D’Angelo e Brizola Neto, e nomes de partidos aliados, como Dimas Gadelha, candidato à prefeito de São Gonçalo na última eleição municipal, no ano passado.

Há mais de 30 anos, em 1990, Graça foi eleita deputada estadual justamente pelo PDT, onde ficou até 2001, quando se filiou ao PSB. Posteriormente, migrou ao MDB. No momento, ela não estava filiada a nenhuma legenda.

Durante o discurso para apoiadores, a ex-deputada afirmou que retornou à legenda após Rodrigo Neves conversar com ela e seu marido, o ex-prefeito de São Gonçalo, Edson Ezequiel.

“Rodrigo esteve em nossa casa, conversou horas conosco e pudemos trocar muitas ideias sobre São Gonçalo e o estado do Rio e ele nos convenceu sobre esse projeto importante. O PDT sempre teve um histórico de lutas em São Gonçalo, com a construção de vários CIEPs durante o governo de Leonel Brizola. Por tudo isso, me filiei ao partido hoje. Eu saí do PDT há alguns anos, mas o PDT nunca saiu do meu coração”, declarou Graça Matos, que foi aplaudida efusivamente após a declaração.

No encontro, Rodrigo afirmou que projetos para São Gonçalo serão prioridade num possível governo estadual, como a expansão do programa de saúde da família e projetos de infraestrutura. Ele também citou que o município precisa de apoio para a retomar sua vocação industrial, que tornou a cidade conhecida nos anos 50 e 60 como “a Manchester brasileira”, fazendo alusão à cidade inglesa que foi protagonista da chamada Revolução Industrial.

“Quem convive comigo sabe que gosto de pensar gestão fiscal, infraestrutura, economia. Eu olho pra São Gonçalo e penso que é inaceitável, e chega a causar indignação o abandono que a cidade sofreu ao longo dos anos por parte dos governos estaduais. São Gonçalo era a cidade mais industrializada do antigo Rio de Janeiro, tinha indústria metalúrgica, naval, de cimento, de papel, entre tantas outras”, apontou.

Além de deputada estadual, Graça Matos foi candidata à Prefeitura de São Gonçalo em três eleições seguidas, 2004, 2008 e 2012, não sendo eleito em nenhuma ocasião. Na última edição, ela ficou marcada em recusar subir no mesmo palanque do candidato Adolfo Konder, que foi indicado pela então prefeita Aparecida Panisset para a disputa. O partido da ex-deputada na ocasião, PMDB, apoiou publicamente o candidato, mas Graça declarou publicamente que não apoiaria o candidato e declarou-se neutra na disputa vencida por Neílton Mulim à época.

Quatro anos depois, ela foi a candidata à vice na chapa onde Mulim tentava a reeleição, mas também não conseguiu sucesso.

Como deputada estadual, foi autora de diversos projetos de lei, como a Declaração dos Direitos do Idoso do Estado do Rio de Janeiro; o que instituiu o ensino para deficientes auditivos e mentais ou sensoriais na rede oficial de ensino; do que obriga as redes pública e privada de saúde a realizarem o teste imunológico para HIV no período pré-natal; e, o que criou o Conselho Estadual de Guardas Municipais.

Fonte: SÃO GONÇALO – A Tribuna RJ