Brasil

País registra 2,6 mil óbitos em 24h

Pela primeira vez, desde o dia 10 de maio, o país voltou a ficar com a média móvel de óbitos acima de 2 mil, depois de atingir 2.673 mortes entre terça-feira (15) e quarta-feira (16), chegando a 493.837 óbitos. De 17 de março até 10 de maio, foram 55 dias seguidos com essa média acima de 2 mil. No pior momento desse período, a média chegou ao recorde de 3.125, no dia 12 de abril.

Já os casos confirmados foram 85.861no último dia, chegando a 17.629.714 casos positivos desde o início da pandemia.

Ainda há 3.827 mortes em investigação, ou seja, as autoridades de saúde ainda apuram a causa da morte, mesmo após a declaração do óbito.

O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (119.905). Em seguida vêm Rio de Janeiro (53.476), Minas Gerais (43.559), Rio Grande do Sul (30.032) e Paraná (28.847). Já os estados com menos mortes são Roraima (1.688), Acre (1.723), Amapá (1.784), Tocantins (3.054) e Alagoas (5.056).

Estado do Rio registra 4,7 mil casos

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio (SES) registrou entre terça-feira (15) e quarta-feira (16) 4.701 novos casos e 234 mortes, totalizando 918.383 casos confirmados e 53.476 óbitos por coronavírus no estado desde o começo da pandemia. A taxa de letalidade da covid-19 no Rio está em 5,82%, a maior do país. Entre os casos confirmados, 854.040 pacientes se recuperaram da doença.

Segundo o painel de dados desenvolvido pela pasta, a taxa de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para a covid-19 no estado é de 71,6%. Já a taxa de ocupação nos leitos de enfermaria é de 44,7%.

Fonte: NACIONAL – A Tribuna RJ