Brasil

Documentário sobre a facada dada em Bolsonaro viraliza no Twitter

Filme “Bolsonaro e Adélio – Uma fakeada no coração do Brasil” foi publicado no YouTube no domingo (12) e já teve quase 500 mil acessos

Um documentário publicado no domingo (12) no YouTube já chegou a quase 500 mil acessos. Chamado “Bolsonaro e Adélio – Uma fakeada no coração do Brasil”, a produção é elaborada pela TV 247, canal do portal homônimo. No filme de aproximadamente 1 hora e 45 minutos, o jornalista Joaquim de Carvalho apresenta uma série de situação que mostrariam que a facada sofrida por Jair Bolsonaro em 2018 durante uma visita a Juiz de Fora, em Minas Gerais, teria sido uma farsa. O vídeo pode ser visto abaixo.

Nesta segunda-feira (13), a produção chegou a ocupar um dos Trending Topics do Twitter. Isso porque o filme revela que a irmã de Adélio Bispo, autor da facada em Jair Bolsonaro, era amigo de Carlos Bolsonaro, o filho “02” do atual presidente. Outra situação é que o filme mostra novos vídeos que confirmariam que Adélio tentou atacar Bolsonaro antes, mas não conseguiu porque seguranças do então candidato viram e impediram esse ataque inicial. E uma das coisas que mais impressiona é que Carlos e o autor do crime se conheciam pelo fato de terem se encontrado anos antes no mesmo estande de tiro em um clube voltado para atiradores.

E uma reportagem no portal Fórum colocou mais lenha na fogueira em relação ao assunto. Isso porque a reportagem conta no mesmo dia em que ouviu que a TV 247 faria um documentário sobre a facada, Fábio Morato, formado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Santa Catarina, e que atualmente mora na Nova Zelândia, entrou no Facebook e começou a olhar o perfil de Adélio Bispo. Ele fez alguns prints de postagens do autor da suposta facada do presidente Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral de 2018 e saiu para ir à academia. Uma hora depois, quando voltou, notou que a conta de Adélio Bispo havia sido desativada.

Ex-aliado protocola CPI da Facada

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP), ex-aliado do presidente,

O deputado federal Alexandre (PSDB-SP) anunciou que vai protocolar na Câmara Federal um pedido de abertura da “CPI da Facada”, para apurar as denúncias feitas pelo documentário.

“Estou agora na primeira hora protocolando pedido de abertura da CPI da Facada. Estou convencido de que foi uma armação. Aproveitaram a doença que esse sujeito tinha na época e criaram essa narrativa do atentado. Ele foi de 8 segundos de TV para 24 horas de TV”, tuitou Frota.

Outra ex-aliada, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) também já tinha contado em entrevista ao canal DCM no YouTube em 2 de julho deste ano que ouviu Bolsonaro dizer a ela, dias antes das disputa presidencial de 2018, que “se tomasse uma facada, ganharia a eleição.

“Eu viajei algumas vezes com o presidente bem naquela época do quente da campanha e, numa daquelas viagens, a gente tava fazendo Rio Preto, Ribeirão Preto, Araçatuba, aquela região ali, e em uma das cidades, eu acho que foi Araçatuba, eu tava no carro com ele, aquela multidão e tal e toda vez que eu estava com ele, eu fazia ele sair de colete. Então as vezes tava calor e ele tava de manga comprida por conta do colete. E aí, na volta a gente entrou no carro e ele olhou pra mim assim e eu falei: ‘olha, você tem que tomar cuidado, muita gente, questão de segurança’, ai ele falou assim: ‘olha, se eu tomasse uma facada, eu ganhava a eleição’. Ele usou essa frase acho que uns 10, 15 dias antes. E eu falei: ‘ah, fica quieto, vira essa boca pra lá”, afirmou a deputada, que foi líder do governo do presidente entre fevereiro e outubro de 2019.

O post Documentário sobre a facada dada em Bolsonaro viraliza no Twitter apareceu primeiro em A Tribuna RJ.

Fonte: NACIONAL – A Tribuna RJ